Preço do gás subiu: entenda o aumento e como lidar com ele

Se você não mora em condomínio com gás encanado e depende do botijão para alimentar seu fogão, com certeza percebeu uma grande diferença no preço dos botijões ao longo do último ano, né? Para piorar, 2021 já começou com mais um aumento, deixando as contas do final do mês ainda mais pesadas. Bom, já que gás de cozinha é a especialidade do Chama, hoje vamos falar dessa variação crescente do valor nos últimos tempos.

 

Após anos e anos com o preço congelado, a partir de 2017, o gás de cozinha passou a sofrer reajustes mensais e, depois de 2019, seu preço seguiu as oscilações do mercado de petróleo internacional. Outro produto que leva em conta as mesmas variações, por exemplo, é a gasolina, que vem aumentando nos últimos anos de forma parecida.

 

A inconstância também acontece simultaneamente, já que é possível encontrar num mesmo dia, numa mesma cidade, botijões com grande diferença de preço. Mas, ainda assim, mesmo achando o botijão mais barato do mercado, ele ainda está com valor elevado. E isso leva a população a se perguntar: o preço subiu de novo, e agora?

 

Infelizmente, não há previsão de mudança dessa matemática entre a Petrobrás, principal produtora do GLP no Brasil, e as revendedoras de botijão pelo país. E, enquanto isso não muda, quem mais perde são as famílias que dependem do gás de cozinha.

 

Por isso, a única saída, no momento, é a tentativa de economizar o gás. Buscar diminuir a necessidade de troca de botijões é a forma de diminuir o gasto com eles. Aqui no Chama, já demos dicas para praticar essa economia, basta clicar aqui para conferir 10 orientações que vão te ajudar na hora de usar o fogão.

 

Nos resta torcer para que a economia ajude e esse valor abaixe em algum momento. Enquanto isso, o Chama busca selecionar as melhores ofertas para você encontrar o preço que cabe no seu bolso e ainda levar um serviço de qualidade na compra e entrega. Se precisar, já sabe, não complica, Chama!