Conheça a história do GLP no Brasil

O GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) está presente na maioria absoluta dos lares brasileiros, pois é ele que vai dentro do botijão de gás de cozinha. Além de ser essencial, o GLP trata-se de uma energia limpa e apresenta maior poder calorífico quando comparado às outras opções. Apesar de o GLP, no seu uso como gás de cozinha, fazer parte do dia a dia de milhões de pessoas, será que você sabe como ele surgiu?

 

Como gás de cozinha é especialidade do Chama, hoje trazemos um pouco de história. Mas, antes temos uma informação importante para você: como é que você faz para comprar gás de cozinha? Fica esperando o caminhão passar e atrasa toda a preparação do almoço? Manda mensagem pelo whatsapp para a primeira revenda que encontra e acaba pagando o preço do gás mais caro? Fica um tempão no telefone para pesquisar o gás mais próximo e a melhor oferta?

 

Esqueça tudo isso! Com o app Chama, pelo celular ou site, em poucos cliques, você tem à disposição somente as melhores ofertas e a entrega mais rápida. Daí é só escolher o melhor custo benefício para você e receber o botijão de gás de cozinha em casa, sem frete ou taxas extras. Chama o Chama!

 

Agora, para seguirmos com a história do GLP, precisamos voltar há alguns milhões de anos atrás, quando o fogo foi descoberto, nossa primeira fonte de energia. A partir daí muitas evoluções aconteceram, como a iluminação, o aquecimento dos alimentos e dos ambientes e também a proteção. A descoberta do fogo fez com que a civilização evoluísse cada vez mais, dia após dia.

 

Até o ano 1200 aproximadamente, a madeira era o único combustível existente. Nesta época, com o desenvolvimento industrial, outros tipos foram descobertos, entre eles o petróleo, porém como as pessoas não sabiam como extraí-lo do solo, era pouco utilizado. Em torno de 1742, na Alsácia, região entre a França e a Alemanha, aconteceu a primeira mineração de petróleo. 

 

No fim do século XVIII surgiram os motores a explosão e com isso as frações de petróleo, que até então eram desprezadas, começaram a ser utilizadas nesse processo. Mais de um século depois, o alemão Herman Blau começou a engarrafar o gás, a partir do processo do craqueamento do óleo. Em 24 de dezembro de 1910, o primeiro GLP foi oficialmente produzido nos Estados Unidos, na refinaria Oil Co. 

 

A chegada do GLP no Brasil

Em 6 de maio de 1937, houve o acidente de um Zeppelin nos EUA. Na época, o Brasil tinha uma base de dirigíveis no Rio de Janeiro com um grande estoque de propano, combustível utilizado em seus motores. Só que com a grande repercussão negativa do acidente, esse estoque ficou parado, pois a população não confiava mais no meio de transporte.

 

Pensando em uma forma de colocar aquele propano em utilização novamente, o imigrante austríaco Ernesto Igel planejou um jeito de aproveitá-lo por completo e de modo mais seguro: em 30 de agosto daquele mesmo ano, passou a envasar o gás e vendê-lo a domicílio para ser utilizado em fogões que, na época, precisavam ser importados. Desde então, com a popularização do fogão, o botijão de gás de cozinha passou a fazer parte da vida das famílias.